domingo, 14 de setembro de 2014

Estudo 31: Batistas Reformados - Graça irresistível - Parte VI* – Manoel Coelho Jr.

Neste estudo apresenta-se a relação entre a Pregação da Palavra, o Chamado Interno e a Regeneração com base em João 11:39-44 e Mt 13: 1-30.




*Estudo da EBD do dia 14 de setembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Amor e humildade contrapondo o egoísmo e a soberba* - João 13: 1-20 - Manoel Coelho Jr.

Este é um trecho cheio de contrastes. Aqui se inicia o ministério mais particular de Nosso Senhor. Nele Cristo cuidará dos seus amados, o seus mais achegados. O texto inicia com estas belas palavras: “Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim”. São as últimas horas de Cristo e tudo o que faz é em prol dos seus amados. O ministério público encerara de forma triste para os ouvintes, pois estes em geral não creram (Jo 12:37-40). Mas há os do Senhor e estes são amados por Ele. Assim temos neste texto o início destes atos de amor que vão culminar na própria Cruz, quando morrerá em lugar deles. Mas aqui o contraste principal está no fato de que há também obra do diabo em Judas. Judas não ama, mas trai. Não dá a vida, mas a mata. Não faz nada pelos outros, mas os usa em “benefício” próprio. O contraste nos leva a pensarmos em cada leitor. Em que lado você está? Do de Cristo ou de Judas?




*Pregação da noite de domingo, dia 07 de setembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

domingo, 31 de agosto de 2014

Estudo 30 - Batistas Reformados - Graça irresistível - Parte V - Manoel Coelho Jr.



Baixe o mp3 clicando aqui.

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Ef 2:8-10.

Neste estudo continuamos a falar do tema chegando as seguintes conclusões:

1 – A Regeneração é um infundir de vida no coração, uma ressurreição espiritual, um novo nascimento, é uma obra exclusiva de Deus em que ossos secos são transformados em um exército, o coração de pedra é trocado por um de carne, fazendo com que os objetos de tal obra manifestem esta vida em apego a sua Santa Palavra.

Textos para leitura e reflexão: Ez 36: 24-29. Ez 37: 1-14; Jo 3: 1-15.

2 – A Regeneração e chamada eficaz estão unidas no coração do eleito, mas a Regeneração é uma obra que não é algo conciente, ao contrário da chamada eficaz que “opera no nível da consciência, no entendimento humano, convencendo, iluminando e persuadindo” (Paulo Anglada).

3 – Toda esta obra é monergística, isto é, é apenas obra de Deus. Quanto a ela não há cooperação ou resistência do homem, de forma a que se tenha alguma participação humana. Não..., pois como um morto poderá fazer algo? Ou como um coração duro pode atender o evangelho? Assim apenas Deus é que regenera e chama sem precisar em nada do homem, daí ser um chamado eficaz. Por isso Paulo afirma que Deus “nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos,” II Tm 1:9.  

Aplicações:

1 – Não há nenhuma esperança no homem. Somos ossos secos por natureza e duros de coração. Não há como mudarmos isso por nossas capacidades. Portanto, não conte com nada em você mesmo. A religião fadada ao insucesso e derrota é a religião dos ímpios que confia em si própria, na força humana.

2 – Saiba que se você não nasceu de novo todos o seus exercícios religiosos são abominações diante de Deus. Tudo isso não passa de trapos imundos diante de Deus, pois se origina de um coração impuro e idólatra. Como é possível nos acharmos que o Santo Deus aceitará ama religião imunda? Como podemos achar que chegaremos ante Aquele que é a pureza absoluta ainda sendo cadáveres espirituais, defuntos de quatro dias, como o morto Lázaro?

3 – É possível ser como Nicodemos de João 3, isto é, ter muita religião e um bom discurso, e  ainda não ter nascido de novo. Neste caso não se verá o Reino de Deus.


4 – Se Deus diz que dará vida aos mortos, e que dará um coração da carne aos duros, então que olhemos para Ele e clamando: Senhor não deixa eu me enganar. Não deixa eu ser iludido pelo meu coração, mas pela tua grande graça e misericórdia me dê uma nova vida. Faz-me um crente verdadeiro e sincero que te ame e que te sirva, que viva apenas para ti e para tua glória em Cristo. Amém!  

*Estudo da EBD de 31 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A Glória de Cristo* – João 12: 20-36 - Manoel Coelho Jr.

Neste texto vemos a questão da manifestação da Glória de Cristo em sua morte. Evidentemente que isto contraria todo o conceito mundano de Glória. Quem ousaria dizer neste mundo materialista que a glória de alguém está em sua morte, e num tipo de morte semelhante a de Cristo? Mas tal compreensão só possuem os homens de fé, pois somente aqueles que creem é que percebem a real proporção das coisas. Apenas estes percebem que a glória de Deus é maior que a glória humana, exatamente por ser de Deus e também porque conduz a Vida Eterna. Já a humana é passageira e leva a morte. O assunto deste trecho está intimamente ligado ao texto anterior. Descobrimos isso quando pensamos que as pessoas esperavam um Reino político que os libertaria de Roma, mas Cristo era o Rei humilde montado em um jumentinho caminhando para Cruz. E quanto a nós, já temos compreendido a glória de Cristo? Nossa vida mostra isso? Afinal o que é glória para nós?




*Pregação da noite de domingo, 17 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

domingo, 24 de agosto de 2014

Estudo 29 - Batistas Reformados - Graça Irresistível e Chamada Eficaz - Parte IV* - Manoel Coelho Jr.



Baixe o Mp3 clicando aqui.

Acesse os vídeos anteriores clicando aqui. 

Acesse o texto base destes estudos clicando aqui. 

1 – Chamada externa:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” Mc 16: 15,16.

Cristo deu a Igreja a tarefa de proclamar o seu Evangelho a todos os homens conclamando-os ao arrependimento e a fé. Consequentemente à medida que o Evangelho é anunciado o próprio Deus está chamando os homens a crerem em seu Filho. Deus é sincero neste chamado, pois trata a cada homem e mulher como seres responsáveis. Assim Ele já o tem feito ao dar-lhes sua Revelação na Criação e na consciência (Rm 1,2). Agora Ele o faz de forma mais clara na Pregação do Evangelho. 
Diante deste fato pensemos nas seguintes questões:

A - Se Deus leva a sério sua própria Palavra ordenando que seja espalhada a todos os homens não é loucura tratarmos seu Evangelho com desatenção e descaso?

B – O que temos feito com a pregação fiel que ouvimos e com a Bíblia que temos nas mãos? Temos tratado estas oportunidades de forma responsável, levando em conta que é a própria Palavra de Deus revelada a nós?  

C – Se Deus nos leva a sério tratando-nos como seres responsáveis, não é loucura tratarmos a nossa própria alma com descaso e leviandade?

O fato é que os homens olham para a Criação e não adoram o Criador, mas a criatura; tem a Lei de Deus na consciência, e a menosprezam; ouvem o Evangelho, e dão pouca ou nenhuma importância. Se este é o nosso caso, não estaremos agindo com responsabilidade e não teremos desculpas no Dia do Juízo, pois Deus nos dirá que fomos informados, que sabíamos, mas mesmo assim não o ouvimos. Por isso se diz: “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis;” Rm 1:20 e “Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.” Rm 1:32. 

2 – A chamada interna.

O que faz a diferença entre os que recebem a mensagem do Evangelho? Por que uns creem e outros não? Vemos a resposta neste texto:

No sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido. Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia. Depois de ser batizada, ela e toda a sua casa, nos rogou, dizendo: Se julgais que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso.” At 16: 13-15.

O que diferenciou Lídia das demais mulheres? É que no caso de Lídia “o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia”. Aqui aconteceu o que chamamos de “Chamada Interna”. Ocorre quando Deus por seu Espírito abre o entendimento dos homens para que compreendam e vejam a Verdade do Evangelho.

Por isso Cristo diz assim:

Em verdade, em verdade vos digo: o que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta, esse é o pastor das ovelhas. Para este o porteiro abre, as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora. Depois de fazer sair todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz; mas de modo nenhum seguirão o estranho; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.” Jo 10:1-5.

As ovelhas sabem que Cristo é o seu Pastor, e também sabem quando se trata de um estranho. Isso nos fala da consciência da Verdade.

Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.” Jo 10:16.  

As que ouvem são Dele, de seu rebanho. São os eleitos.

Rodearam-no, pois, os judeus e o interpelaram: Até quando nos deixarás a mente em suspenso? Se tu és o Cristo, dize-o francamente. Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai testificam a meu respeito. Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.” Jo 10:24-29.

Os que não são suas ovelhas não ouvem porque não creem que Ele é o Cristo, nem diante das maiores evidências. Mas as suas ovelhas ouvem, pois compreendem que de fato Ele é o Cristo enviado pelo Pai. E tudo isso ocorre porque o próprio Deus as chama internamente. Lembre o que Cristo disse a Pedro: “Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.” Mt 16:17.

3 – Aplicações:

A – O Chamado externo mostra que somos responsáveis. Então que ajamos responsavelmente buscando ao Senhor. Que leiamos sua Palavra com toda atenção e meditação. Que ouçamos cada pregação anelando que o Senhor fale conosco, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas são de fato, assim (At 17: 11). Não haverá desculpa se negligenciarmos este nosso dever.

B – O Chamado interno mostra que só ouviremos se Deus operar em nós com sua Graça Irresistível. Então supliquemos que Ele nos conceda entendimento. Que clamemos: “Oh Senhor não permita que meu coração me engane. Sim, pois ele é enganoso e corrupto (Jr 17:9). Que tua graça me ilumine e que faças em mim o que fizeste em Lídia, Oh Senhor. Que abras o meu coração, abras meu entendimento. Senhor que a tua Palavra na pregação seja pão para mim, seja luz, seja água, seja vida, seja de fato para mim a tua Palavra. Oh Senhor fala ao meu coração. Que não seja apenas um Chamado externo, mas também o interno. Que a tua Graça opere em mim. Amém!”.

Amigo, saiba que Naquele Grande Dia você responderá pelo que tem ouvido. Saiba também que só Deus pode lhe salvar, somente Ele pode abrir seu entendimento e coração. Então vá a Ele e clame por sua Graça. E que o Senhor lhe seja gracioso. Amém! 

*Estudo da EBD de 24 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.